Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Pobr€za das Naçõ€s

A Pobr€za das Naçõ€s

Refugiados: uma oportunidade?

COIMBRA - Segundo dados da Comissão Europeia, em 2025, mais de 20 % dos europeus terão mais de 65 anos e o aumento do número de idosos com mais de 80 anos tende a ser cada vez mais acentuado. Para Portugal, o Instituto Nacional de Estatística (INE) revelou no ano passado, no âmbito do Dia Mundial da População, que “as tendências demográficas recentes são caracterizadas pelo aumento continuado da esperança de vida, a redução da mortalidade infantil, o aumento da emigração, a queda acentuada da fecundidade e o consequente envelhecimento da população.”

 

A vaga de refugiados vindos de países do Médio Oriente, como a Síria, o Afeganistão, o Iraque e o Paquistão, é composta, na sua maioria, por populações em idade ativa. Homens e mulheres nos seus 20, 30 e 40 anos, acompanhados pelos filhos (são cerca de 40 mil crianças segundo as Nações Unidas), tentam diariamente atravessar fronteiras e chegar a países como a Alemanha, o Reino Unido, a Suécia e a Áustria. Estes migrantes vêm à procura de segurança, trabalho e bem-estar, e estão dispostos a ocupar postos de trabalho que nos últimos anos têm vindo a ser rejeitados por uma população europeia cada vez mais qualificada e exigente. Para além disso, muitos deles são jovens qualificados nos seus países de origem, ou até mesmo em Universidades europeias, e procuram de novo acolhimento num país europeu, dispostos a oferecerem a sua força de trabalho em cargos que exigem uma qualificação menor à que possuem.

 

A União Europeia deveria, pois, atentar a este caso como uma forma de resolver o problema do envelhecimento da população. É isso mesmo que a Alemanha tem feito ao ser o país que mais emigrantes acolhe, mas que deveria ser seguida pelos países nórdicos e pelo Reino Unido. Aos países do sul da Europa também interessa acolher emigrantes vindos do Médio Oriente: as fortes vagas de emigração (fuga de cérebros) causam um problema demográfico, de sustentabilidade da segurança social e de renovação da mão-de-obra, que poderia ser solucionado pelo acolhimento de não-europeus.

 

Motivações xenófobas, de receio ao acolher presumíveis terroristas gratuitamente, egoísmo  ou descontrolo da população, têm levado países europeus a vedarem o acesso de refugiados à Europa, mas não será esta uma oportunidade para resolver um problema geracional que é a crise demográfica?

Merkelrefugiados.jpg

 Fonte da imagem: Notícias ao Minuto